Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2015

Meteorologia para navegantes - parte um.

Imagem
Boas!
Para navegarmos com segurança  é preciso dominar a previsão do tempo. Porém, isso vai muito além de saber se vai chover ou não, se estará frio ou calor. Por essa razão sites como o climatempo e o canal do tempo, não fornecem toda a informação que é necessária.
Nós já navegamos em dias de chuva em que o mar estava um espelho, sem ondas nem vento; já navegamos em céu azul, de brigadeiro, em que o mar estava um inferno.
A previsão que interessa ao velejador é a de ventos, com direção e intensidade e a de ondas, com altura, direção e período.
Sobre os ventos de início é preciso saber que os ventos de tempo bom sopram de Nordeste, Leste, Sudeste e Sul (na nossa costa do Sudeste). Os ventos de Noroeste são a ponta de um ciclone e em poucas horas há a perigosa rondada para Sudoeste – que nosso litoral é o pior vento, pois entra com muita violência.
A velocidade do vento é medida em nós. Um nó equivale a 1.852 metro, por hora. Falar nó por hora para se referir a velocidade está incorreto, p…

Mas afinal, o que é um Cusco Baldoso?!

Imagem
Pois é!

O tempo passa, o tempo voa, mas voilta e meia alguém sempre me pergunta o que vem a ser um Cusco Baldoso?!
Há muito tempo, quando eu conheci a Priscila, ela vivia dizendo que eu era um Cusco Baldoso. Eu não sabia o que era isso, mas a sonoridade me agradava e eu dizia que meu próximo barco se chamaria assim (se bem que havia uma dúvida entre outras expressões gaúchas: aragano, gaudério, guaipeca e bagual).
Pois bem, lá para os povos dos pampas um cusco é um cachorro sem raça definida; já baldoso é aquele que tem balda, ou seja, manha. Um cusco baldoso é um vira-lata manhoso! Por isso, alías, no nosso logo há um cachorrinho com as orelhas sendo levadas pelo vento.
Hoje a Pri já virou santista, como eu. Fala "tu vai"; pede oito médias na padaria (média, em Santos,é o pão francês),  só tem sotaque quando está brava, não toma mais chimarrão e quando vai para a praia é de Guarujá em diante. Mas o Cusco Baldoso a mantém, de certa forma, ligada às suas raízes.
O engraçado é…

Cruzeiro Forte São João

Boas!

A ABVC abriu as icnrições para o Cruzeiro Forte São João.

Como consta do blog da ABVC e do site ABVC Santos:

"O Cruzeiro Forte São João consiste em uma navegação em flotilha de Bertioga ao Rio de Janeiro, reproduzindo a trajetória que fizeram as embarcações da Expedição de Estácio de Sá em 1565. 

A expedição de Estácio de Sá partiu do Forte São João de Bertioga rumo ao Rio de Janeiro com o intuito de ocupar a região que estava sob o domínio dos índios e franceses. A chegada foi em 1º de março de 1565 quando foi iniciada a construção do Forte São João da Guanabara, marco da fundação da Cidade do Rio de Janeiro, que comemora no dia 1º de março seus 450 anos.

A navegação será realizada em duas etapas: a 1ª etapa, de 20 a 22/fev, de Bertioga à Angra dos Reis e a 2ª etapa, 28/fev e 1º/mar, de Angra dos Reis ao Rio de Janeiro. Os participantes do Cruzeiro serão velejadores associados da ABVC e outros interessados inscritos no evento.
Em Bertioga haverá o almoço de abertura do Cru…

Como substituir o filtro RACOR do motor do veleiro

Imagem
Boas!

Ontem foi meu primeiro dia de aula no SENAI. De aula mesmo não teve nada, foram apenas três horas de explicações sobre as normas da escola e o que iremos fazer. A estrutura é excelente e vem gente de longe fazer esse curso, que só existe na unidade Santos do Senai: mecâinico de motor diesel marinizado. E tem mais gente da vela por lá, como meu amigo Luiz Vasques e o Marcelo, que veleja com o Jefferson (ex-Goludo). O Marcelo está fazendo o curso de elétrica, depois de ter feito mecânica de motores de popa. O Luiz está na minha turma.
Eu que sou um eterno e incorrigível autodidata, porém, já andei fuçando no motor do Malagô e aprendi a trocar o filtro de combustível, também conhecido como filtro RACOR.
Esse filtro serve para separar a água proveniente da condensação do tanque e do próprio óleo diesel do combustível, mantendo-o livre dos resíduos sólidos que esse processo tende a formar. O do Malagô, quando eu retirei, estava uma vergonha. Convém trocá-lo de acordo com a especifica…

A todo pano!

Imagem
Boas!

Esse final de semana foi movimentado. Na sexta fiz aula com o Rogério, que já sabe velejar mas queria que alguém se certificasse disso. Aprovado! Fizemos uma velejada até a Ponta do Monduba, lá do lado de fora da baía de Santos, "no pano mesmo".

No sábado o número de alunos superou a lotação e tive que chamar meu amigo Alan, do Meltemi, para levar uma turma muito legal: o Roberto, que começou conosco esse ano e o casal Diogo e Danielle, que fizeram o básico 01 e 02 em fevereiro e março do ano passado! 
No domingo fiz mais uma saída especial, com o Cassio. Fundeamos no Saco do Major depois de duas horas de velejada, depois fomos até a praia do Moisés (repleta de lanchas, apesar de o fundeio ser proibido ali). Como não dava para entrar subimos o balão e voltamos para casa.


O pessoal do clube está organizando um passeio até as Ilhas no carnaval e acho que o Cassio e o Aruã se animaram de ir com as namoradas usando nosso Fast 230. Se eles forem mesmo deverá ser um carnava…

O verão e travessias à vela...

Boas!

Acho que estou ficando velho, pois  de uns anos para cá o verão tem sido, de longe, minha estação menos favorita. 
Em nossa última estada na Ribeira houve um dia em que passamos na psicina da Aumar, pois ficar no barco ou na praia era simplesmente impossível. Já na primavera e no outono, quanta diferença! O Hélio, do Maracatu, há anos brinca com a previsão do tempo feita nessa época: tempo bom para quem, se a cabine estará a 47º C?
Por aqui na latitude 23º os dias têm amanhecido claros, com um pouco de vento. Depois o vento morre e entra lá pela meio dia, variando entre uma brisa gentil e ventos frescos. No fim da tarde, invariavelmente, vem um temporal daqueles. Dura pouco, mas assusta.
Acontece que ainda esse mês eu tenho que trazer o Malagô para o Guarujá e o cenário que se põe é esse, fazendo com que o planejamento saia do habitual. Em geral para travessias assim eu saio de Ubatuba cedo, chego em Ilhabela na hora do almoço e fico por lá até o dia seguinte, quando saímos ante…

A primeira do ano!

Imagem
Boas!


No último sábado, 10, minhas férias acabaram. Então o jeito foi ir trabalhar. Acordei cedo, tomei café, preparei o material necessário e fui para o... CLUBE, Encontrar meus valentes alunos da primeira turma do curso de vela oceânica de 2015: Roberto, Alexandre e Caio!

Saimos no Fast 23 Grandpa e aproveitamos bem o dia de sol e vento, conseguindo cumprir a risca o programa de aulas e quaaaase voltando para a vaga apenas no vento - no último momento tivemos ue ligar o motor de popa, que não nos deixou na mão. 

A aula foi sensacional e a impressão que tive foi de que as férias não tinham acabado!


Já na segunda-feira, 12, cheguei no escritório de terno e gravata (terno de inverno, pesado, pois os de verão minha Almiranta mandou lavar) e descobri que meu ar condicionado havia quebrado. Mudei de sala... outro ar quebrado... só na terceira tentativa consegui um lugar decente para trabalhar. 
E vamos derretendo mesmo!

Família, manutenções, velejadas e o Forte São João... velejar......

Imagem
Boas!

Passamos o Natal e o aniversário da Alice (28/12) em Santa Catarina. A minha família é apenas as meninas, mas a Pri sofre quando chega essa época e fica longe dos seus. Por isso abri mão dos planos de ir para o barco no dia 20 e tocamos para Santo Amaro da Imperatriz, uma pitoresca cidadezinha de seus trinta mil habitantes distante apenas 25 km da Florianópolis onde moram o Celso e a Fabi, pai e boadrasta da Almiranta.


Depois das festividades seguimos de carro para Ubatuba no dia 30/12. Fizemos em duas pernas, parando em Santos para dormir e salvar nossa gata que sem querer se trancou em um dos quartos e ficou presa. Foram 708 km de carro na mais absoluta tranquilidade. No dia seguinte tocamos para Ubatuba, pela Rio Santos. Até Caraguá - 150 km - seguimos bem. Mas lá encaramos um congestionamento daqueles... Doeu!
Chegamos em Ubatuba no dia 31 e vimos os fogos na poita. Foi bem bacana. Nos dias que se seguiram acertamos coisas no barco e navegamos. Visitamos as praias do Sul e d…