De Santos à Vitória

Boas!

Dessa vez participei (e ainda estou participando) de uma travessia oceânica de uma forma diferente. Sou o apoio logísitco. Isso signinifca que ao invés de ter saído de Santos no último domingo, 17/07, a bordo do veleiro Fratelli com destino ao Recife, fico de olho na tela do computador avaliando o progresso da tripulação e a evolução da previsão do tempo. Não é a mesma coisa que estar lá, confesso, mas sei o quanto é importante para quem está no mar saber que há alguém em terra que forneça informações, resolva pequenos problemas buricráticos e, também, fale sempre com as famílias.

Além disso aprendi muito ao longo da preparação para essa jornada, que vai muito além de ir só até ali e voltar. O Marcelo é muito criterioso e perfecionista  e não se conforma com respostas superficiais.

A bordo do Fratelli está o capitão, Marcelo Damini, nosso amigo e aluno Vitor Young (que foi e voltou de Buenos Aires com o Spinelli), o Milton e o Sr. Gerson. 

O Fratelli é um veleiro Delta 36, equipado com balsa salva vidas, Epirb, AIS (com transponder), radar, telefone por satélite e tudo o mais que possa garantir segurança e conforto para a tripulação. O veleiro deixou o cais do Clube Internacional de Regatas, em Guarujá,  às 04h10. O mar estava ressacado, com ondas de SW de mais de dois metros e ventos acima de quinze nós.

Por volta de 15h00 de domingo fiz contato com eles a partir do Malagô, que está no Saco da Ribeira. O Fratelli passava ao largo da Ilha da Vitória e nos copiou bem. A partir de então eu entro em contato com eles duas vezes ao dia pelo telefone via satélite.

A primeira dúvida era se eles parariam ou não em Cabo Frio. Isso dependeria do progresso da frente fria, necessária para vencer o desafio seguinte, o Cabo de São Tomé. Por sorte o mar estava revolto, mas ia na direção certa e os ventos também (tanto que o motor quase não foi utilizado). O Cabo Frio foi montado por volta de 21h00 do dia 18/07 e como as condições eram boas para isso, o Fratelli seguiu direto para Vitória. A tripulação navegou a uma média de trinta milhas da costa, tendo vencido o São Tomé às 09h00 do dia 19/07. A chegada no Iate Clube do Espírito Santo, em Vitória, ocorreu  à 01h10 do dia 20/07. Foram cerca de 450 milhas náuticas em cerca de 70 horas , o que dá uma média acima de seis nós, a maior parte na vela e com vento de popa e alheta.

A próxima perna agora deve ser Vitória - Salvador e a previsão de partida é no próximo dia 22.

E vamos no pano mesmo!

Galeria:



Sr. Gerson


Marcelo, o capitão!

Sr. Gerson e Milton

Sr. Gerson e Vitor


O Fratelli em Vitória.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

De Ubatuba a Santos

De Vitória a Recife