O Mastro - quase lá...

Boas!

As obras do Malagô seguem um pouco mais devagar, mas sempre para frente.

Dessa vez estamos trabalhando no mastro, construído em spruce e com mais de cinquenta anos de idade. Havia uma parte podre causada poor infiltração de água de chuva bem próximo ao tope e essa era uma parte delicada. Se falhasse, o mastro ficaria em pé, mas não seria mais possível subir a vela mestra nem velejar a favor do vento (pela falta do estai de popa).

A reforma foi feita pelo Sr. Oswaldo, um carpinteiro naval que começou o ofício um pouco antes do Malagô ir para a água, em 1960. Tenho que aproveitar enquanto esse pessoal está por aqui... a mão de obra dele é bem mais cara. Mas economizar em mastro não me pareceu sensato.

Na restauração utilizamos resina epóxy e madeira freijó. A parte podre já não está mais lá e as que estavam descolando estão firmes novamente.  Essa semana vamos terminar de lixar, passar seladora e verniz marítimo. Depois disso o desafio será montar, pois há algumas partes que eu não lembro mais como se uniam à estrutura, em especial o diamante do tope.

E vamos no pano mesmo!












Comentários

Mensagens populares deste blogue

Onde guardar um veleiro.

De Ubatuba a Santos

De Vitória a Recife