Arvoredos e Palestra da ABVC Santos

Boas!

Sábado de sol e céu azul. Dia perfeito para velejar, não? Ainda mais após alguns diás de chuva e vento frio!
Não, nem sempre é assim - ainda mais em setembro. No último sábado, dia 21, houve a tradicional Regata de Arvoredos, organizada pelo Iate Clube de Santos. Como de costume foi uma regata "oito ou oitenta": Começou sem vento algum - o que provocou muitas desistências - e terminou com ventos de 42 nós constantes. Eu estava em meu sofá quando a ventania entrou e na hora pensei no pessoal que estava no mar. Não foi sem razão: a coisa ficou complicada, apesar do sol e do céu azul.

Alguns veleiros tentaram voltar para a baía de Santos; outros correram com o tempo e se abrigaram em Bertioga.  Houve velas rasgadas, pane seca, motor quebrado, encalhe e mastro caído (uma cena sempre triste de se ver).



Minha experiência com Arvoredos nunca foi das melhores. Uma vez a fizemos sem problema algum. Em outra, o Meltemi quis subir na Ilha, quando o enrolador falhou. Ano passado, dia 29 de setembro, eu levei a fatídica retrancada. Talvez por isso nem me animei em inscrever o Malagô esse ano. Apenas talvez.

De todas as histórias e estórias que ouvi sobre a regata desse ano, a mais legal foi a do Jefferson Neitzke: no meio da pauleira, ele desligou o motor (para não sofrer pane seca), rizou a genoa, rizou a mestra e conseguiu chegar são e salvo, navegando em solitário - e no pano mesmo - no valente  Atoll 23 Goludo! Parabéns!!!

Já no domingo, a ABVC SANTOS realizou duas palestras na sede náutica do Clube Internacional de Regatas. A primeira, sobre os próximos eventos na região (Encontro das Ilhas e Cruzeiro do Varadouro) proferida pelo VP da entidade, Volnys Bernal e a segunda sobre pintura de obras vivas e obras mortas, proferida por Raymond Grantham. O evento foi muito bem organizado e trouxe muitas informações úteis. Oxalá outras ações desse tipo se repitam por aqui!

E vamos no pano mesmo!





Comentários

  1. Respostas
    1. Pior que estava entrando um vento com um cheiro de enxofre do cais que vou te contar... cidade portuária tem dessas!

      Eliminar
  2. É... aqui em Paraty, pegamos o mesmo ao sairmos às 4 da manha de sábado, dia 22/09, retornando para Marina Porto Galo, ventos constantes de 27 nós com rajadas de 35 nós, bons ventos sempre

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu vi! Mas no teu barco, 35 nós é brisinha!!!!

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

De Ubatuba a Santos

De Vitória a Recife

De Santos à Vitória