Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2013

A história dos Classe Brasil

Imagem
Boas!

Desde o tempo da canoagem oceânica eu sonhava em ter um veleiro. Desde aquele tempo o "meu" veleiro dos sonhos era um Classe Brasil. No CING um deles, o Flegon, ficou a me provocar no início dos anos dois mil. Eu nem imaginava quem era Sparkman, muito menos Stephens. Mal sabia eu a rica história que estava por trás daquelas belas linhas de madeira.
Em 2011, quando cheguei em Paraty para assumir o Cusco Baldoso (Atoll 23), lá estava mais um Classe Brasil a me provocar. Porém eu achava que era algo tão fora do meu alcance, que nem inveja do Cesar Pastor dava para ter. Em pouco tempo nossas famílias acabaram ficando amigas e lá fui eu passear no "Velho Mala". 
Claro que muita gente torceu o nariz para minha escolha. O argumento é sempre o mesmo: "barco de madeira...". De fato, um barco de madeira tem um grande "defeito", praticamente intransponível por muitos donos de barcos de fibra: eles não aceitam o abandono. Não dá, mesmo, para ficar sei…

Kits para construção amadora - POP 25!

Imagem
Boas!
Dando uma conferida agora há pouco no blog do Roger, cujo Tiki Rio está quase pronto, encontrei esse site:  http://construindoseuveleiro.com.br
Foi uma grata surpresa. Em linhas gerais um dos construtores do POP 25 - projeto do Cabinho - montou em empresa que vende as anteparas já prontas para a construção amadora. O serviço parece ser de primeira, com o corte do compensado a laser. Para quem se aventurar  isso representa uma economia de tempo absurdamente grande (e na vida, o tempo é o item mais caro. Aliás, caríssimo!). Além disso, confere ao projeto uma chance de exito enorme, pois as anteparas são o esqueleto do futuro barco.

Achei a iniciativa bem legal e se a moda pegasse, poderia haver mais barcos indo para a água - ainda que o problema principal da náutica talvez seja a guardaria, como já dissemos antes. Achei bacana o jeito de pensar do empreendedor: o esporte vela é caro, mas a vela de cruzeiro não precisa ser. E não mesmo. Não se populariza a vela colocando crianças …

E por falar em saudades, onde anda você...

Imagem
Boas!

O barco que deu início à saga cuscobaldoseana foi um Rio 20, ano 1984, projeto do Cabinho (Roberto Barros). O nome, Cusco Baldoso, tem origem no apelido que a Priscila me deu logo que nos conhecemos - no tempo que ela ainda era gaúcha com sotaque de gaúcha! Cusco nada mais é senão um cachorro sem raça definida (nome politicamente correto para vira lata!). Já baldoso deriva de balda, manha. Ou seja, um Cusco Baldoso nada mais é do que um cachorro vira lata manhoso!
Esse primeiro barquinho de oceano ficou quase à deriva, preso na poita lá na marina do Chinen por quase três anos. Agora seu dono pegou gosto pela coisa e o levou para o Clube Internacional de Regatas, em Guarujá, onde ele deverá voltar a ver água passando por baixo da quilha com mais frequência.
O curioso (e legal) é que cada pessoa que passa por lá e me conhece (ou acompanha o blog) envia uma foto! Eu não tenho todas, mas só para dizer que não é conversa de pescador seguem duas, enviadas pelo Jefferson Neitzke (via f…

Vamos no pano mesmo - Lá em João Pessoa!

Imagem
Boas!
No dia 01 de abril as mãozinhas da Alice sortearam o vencedor da promoção "Eu quero um boné do Cusco!". E para provar que não foi mentira, eis a foto que o vencedor, Roberto Cavalcanti, postou hoje no facebook:



Parabéns Roberto e, como você mesmo disse, agora em João Pessoa quem diz  "vamos no pano mesmo" é você!

Estrelas à barla!


Curso de Vela, Golfinhos, Pato Voador e Papo de Popa...

Imagem
Boas!

No último final de semana teve curso de vela oceânica, a quarta turma de 2013.
Chegar em Ubatuba já foi uma aventura. Sai de Santos às 8h00 e assim que peguei a Rio - Santos belas rajadas de vento começaram a soprar, vindas da serra do mar. Mas ventos de verdade, com  belos quarenta e poucos nós. O carro ia para o acostamento, sem controle; árvores caiam pelo caminho - postes também - e pontos de ônibus dobravam feito papelão. Após orçar bastante (com o carro) cheguei em Ubatuba às 13h50! Em situações normais eu chegaria por volta de 11h20, mas mesmo assim ainda daria para eu trabalhar: tinha que colocar velas no carro, trocar escotas, instalar moitões novos e toda aquela faina interminável. 
Mas não teve jeito: a Ribeira ficou sem luz. Com isso, o comércio local fechou mais cedo. Já no barco não dava para fazer nada, pois o vento ainda estava na casa dos vinte/trinta nós. A boa notícia era que o windguru finalmente indicava a ventania, com apenas umas horinhas de atraso... Fiqu…

VO65 - Alingh - VOR 2014/2015

Imagem
Uau!



Regata de Veleiros Clássicos - 2013

Imagem
Boas!

Entre os dias 03 e 05 de maio tem início a temporada 2013 da Regata de Veleiros Clássicos. Esta será a etapa Angra dos Reis e o Malagô já fez sua inscrição!
Como tripulantes convidamos nossos ex-alunos, que para nossa satisfação abraçaram a ideia com muita rapidez e entusiasmo: em menos de vinte e quatro horas as seis vagas para tripulantes disponibilizadas pela nossa escola de vela foram preenchidas!
Dentro da proposta do Clube Cusco Baldoso, nenhum valor será cobrado dos ex-alunos, que terão assim uma oportunidade ímpar de colocar em prática o que foi aprendido no curso e, ainda por cima, desfrutar das belezas de barcos clássicos e de um local maravilhoso pela própria natureza: Angra dos Reis.

A próxima etapa da Regata de Veleiros Clássicos acontecerá entre os dias 09 e 11 de agosto de 2013. Quer participar? Então faça um curso conosco e entre para essa turma!
E vamos no pano mesmo!