segunda-feira, 5 de novembro de 2018

De um a quatro de novembro de 2018 - Muitas velejadas!

Boas!


Dizem que um mineirinho encontrou, certo dia, uma lâmpada. Ao esfregá-la, saiu um gênio que lhe concedeu três desejos. O mineirinho, então, pediu primeiro um pão de queijo; depois um outro pão de queijo e, por fim, uma Ferrari. O Gênio atendeu cada um dos pedidos, mas não pôde deixar de esconder sua admiração: "- Por que você me pediu dois pães de queijo e, no terceiro pedido, uma Ferrari?". O mineirinho prontamente respondeu: "Ah,é que eu fiquei com vergonha de pedir outro pão de queijo, uai".

Veleiro +Bakanna - Fast 230

Esse feriado de finados foi mais ou menos assim: velejamos dia 01, 02, 03 e 04 de novembro; dia 05 viemos trabalhar - não por falta de vontade de velejar, mas por vergonha de ficar tanto tempo no mar, uai!



De fato foram dias muito bons. Na quinta eu e a Vivi terminamos a formação do Severiano e da Kathya. Para comemorar, na sexta, velejamos com eles mais um pouquinho - com direito a voltar para marina na vela. Abre um parênteses: nesse dia, por culpa minha, encalhamos o +Bakanna (Fast 230) a menos de cinquenta metros da marina, numa das curvas do Rio do Meio. Com a desaceleração a Vivi voou até o estai de proa, ganhando alguns hematomas. Liguei o motor e desencalhamos dando ré, mas ela ficará de molho alguns dias.



Nesse mesmo dia o querido Pablo e sua família, que já fizeram aulas conosco aqui em Guarujá ano passado, foram velejar pela baía de Santos a bordo do Adhara, sob a batuta do Jefferson, com direito a mergulho na Ilha das Palmas.

Veleiro Adhara - Praia 30



No sábado o dia estava lindo, mas com pouco vento. Ainda assim o Rodrigo, o Celso, o Eduardo, a Juliana, o Severiano e a Kathya foram até a Laje de Santos. Distribuídos em três veleiros (Manu, Erva Doce e Adhara), o pessoal completou com louvor a navegação de 40 milhas náuticas, saindo às 09h da Marina e retornando às 19h. Deu até para dar um mergulho! 

Veleiro Manu - Velamar 31


A volta foi um pouco mais complicada, pois o vento que ficou escondido o dia todo resolveu sair todo de uma vez. A atracação dos veleiros foi bastante divertida! Soube que no Adhara o churrasco foi bem melhor que nos outros veleiros!

Recurso pedagógico do nosso curso básico de vela oceânica.

No domingo (ufa!), como não somos de ferro, fizemos um dia de vela com o Wagner e sua esposa. O dia de vela é um pré-curso. Serve para que as pessoas tenham uma ideia do que é um veleiro e como é velejar. Isso ajuda a decidir a fazer o curso de vela e custa muito, muito pouco. 



Esse mês, com a ajuda da meteorologia, terá várias atividades por aqui. Além dos cursos de vela (não temos mais vagas esse ano) e estamos preparando várias atividades para  manter o pessoal no mar, no pano mesmo!


Sem comentários:

Publicar um comentário