A volta ao mundo de veleiro...

Boas,

era uma quarta-feira de sol e eu estava a bordo do Malagô, arrumando umas coisas (sempre), quando o telefone tocou. Do outro lado da linha, uma moça, um pouco aflita:

- Alô, é da Cusco Baldoso?
- Sim!
- Vocês ensinam a velejar, certo?
- Isso mesmo!
- Eu, meu marido e meu filho precisamos aprender a velejar este final de semana, de qualquer jeito...

Houve um breve silêncio e, após alguma explicação, dois dias depois, a família da Ana Paula estava toda a bordo do Soneca, em Ubatuba, fazendo aula com o Tio Spinelli. Na semana seguinte, pelo Facebook, eu acompanhava a liquidação de objetos pessoais. Da televisão aos livros. Alguns dias depois eles embarcaram, para os EUA, compraram um Benneteau e começaram sua nova vida. Em janeiro, quando estive na Florida, eles haviam deixado Cabo Canaveral há poucos dias e estavam nos Keys. Eu ia até lá encontrá-los, mas um tornado inviabilizou a visita: eu no hotel e eles, ancorados à galga, enfrentando o ventão em sua nova casa. Hoje eles estão em Cuba, aprendendo dia a dia, e vivendo.

A capitã Ana Paula, a bordo do Coragem - foto do Facebook.
A Ana Paula e o Mazinho, seu marido, seu filho e o valente yorkshire que adora mergulhar foram nossos primeiros alunos que efetivamente se lançaram na volta ao mundo de veleiro. Na bolsa de apostas a expectativa não era lá das melhores em favor do sucesso. Ainda assim, o pouco que já foi feito até agora, já é muito mais do que muitos de nós fará um dia.

Dois anos depois, hoje, às 05h50 da manhã, no grupo Flotilha Caiçara, recebemos uma mensagem do Beto e da Thais, do veleiro Shogun: "Estamos prontos".  Eu senti um frio na barriga danado, e olha que eu estava embaixo dos lençóis. Às 07h39 veio o tão esperado "Passando a Moela". Santos ficava para trás. 


Essa, porém, não era uma simples travessia até Ilhabela. Era mais uma volta ao mundo, que começava a bordo de um Peterson 33 pés. O Beto e a Thais passaram o carnaval de 2016 a bordo do Soneca fazendo em sequência os cursos básico e avançado. Agora, pouco mais de um ano depois, seguem para Ubatuba, a bordo de seu próprio barco, tomando as rédeas de suas próprias vidas, longe do sofá e do Discovey Channel. E com eles o Google, seu intrépido cão da raça golden.

                                          (c)  UOL

E não acaba ai. Mês passado um outro casal trocou de barco, após passar um ano aprendendo o que podiam em um valente Atoll 23 e, no começo do ano que vem, devem deixar Ubatuba e seguir esses mesmos passos. Quantos outros não estão por vir, me pergunto?

Eu digo sempre isso: a vela é sensacional pois ela permite que qualquer pessoa faça as mesmas coisas que lê seus heróis fazendo nos livros. Assim como o Klink, você pode dormir em uma Jurumirim enluarada; assim como o Cabinho, pode se ver na polinésia ou curtir o caribe adoidado como o Helio Setti Jr. A vela lhe proporciona isso exatamente isso, poder escrever seu próprio livro e ser o protagonista de sua vida.

Para acompanhar a viagem da Ana Paula e sua família (notem que a capitã é ela!) curta no Facebook a página deles.

Já o Beto e a Thais têm um canal no youtube, o Sailing Around the World. Inscreva-se já!

E você, não quer ser o próximo?!

E vamos no pano mesmo!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

De Ubatuba a Santos

De Vitória a Recife

De Santos à Vitória