Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2016

De Santos à Vitória

Imagem
Boas!

Dessa vez participei (e ainda estou participando) de uma travessia oceânica de uma forma diferente. Sou o apoio logísitco. Isso signinifca que ao invés de ter saído de Santos no último domingo, 17/07, a bordo do veleiro Fratelli com destino ao Recife, fico de olho na tela do computador avaliando o progresso da tripulação e a evolução da previsão do tempo. Não é a mesma coisa que estar lá, confesso, mas sei o quanto é importante para quem está no mar saber que há alguém em terra que forneça informações, resolva pequenos problemas buricráticos e, também, fale sempre com as famílias.
Além disso aprendi muito ao longo da preparação para essa jornada, que vai muito além de ir só até ali e voltar. O Marcelo é muito criterioso e perfecionista  e não se conforma com respostas superficiais.
A bordo do Fratelli está o capitão, Marcelo Damini, nosso amigo e aluno Vitor Young (que foi e voltou de Buenos Aires com o Spinelli), o Milton e o Sr. Gerson. 
O Fratelli é um veleiro Delta 36, equip…

De Santos à Ubatuba

Imagem
Boas!

Na quinta-feira, 07/07, reuni os amigos Cassio, Jefferson, Marcelo, Eduardo e Thiago a bordo do Malagô e terminamos os preparativos para mais uma travessia. Fazia tempo que o "Velho Mala" não se fazia ao mar e era chegada a hora, mais uma vez. Eu já vinha preparando o barco há uma semana e a tensão da partida dava lugar a ansiedade de sair logo. 
A previsão do tempo não era das melhores.   Na ida teríamos com sorte algum vento do SE,  a tarde e a Marinha a todo instante emitia avisos de ressaca que o App Gajeiro sempre nos informava. Ondas de três metros, com período longo. Isso significava que além de altas, as marolas (sem vento essas ondas não chegam a quebrar) viriam com bastante força/energia.
Soltamos as amarras do cais às 05h05. O trecho mais complicado foi a navegação até a Ilha da Moela. Optei por não subir a mestra antes do sol nascer e o equilíbrio do barco ficou prejudicado diante das montanhas de água que surgiram na nossa proa. Levamos absurdas duas horas…