Victor Otanõ

No ano de 2002, com a economia de seu país arrasada, o argentino Victor Otaño usou o único recurso financeiro que lhe restou (seu cartão de crédito), comprou toda a água e comida que pôde (não foi muito) e embarcou em seu minúsculo Van de Stadt de 21 pés de nome Marangatu com destino ao Brasil.

Subiu a costa em solitário, sem piloto automático ou eletrônicos (nem mesmo GPS), até chegar em Angra dos Reis, onde se instalou na Vila do Abraão, na Ilha Grande. Passou algumas necessidades, até que finalmente foi contratado pela empresa Angra Charter.

Há algum tempo, vendo que seu ciclo no Brasil havia terminado, pegou seu barquinho e começou seu retorno para a Argentina. Dia desses, em algum lugar entre Colônia e Montevidéu, no Uruguai, morreu dormindo na casa de parentes que visitava. Estava forte e lúcido. Foi em paz e não sofreu. Victor Otaño merece todo nosso respeito: era um velejador de verdade.


Fotos: Rico Floriani.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Onde guardar um veleiro.

De Ubatuba a Santos

De Vitória a Recife