Velejando sob vento noroeste

Boas!

Cada região tem seu microclima e seus ventos predominantes. Aqui em Santos os ventos que predominam vêm de quadrante sul, vindo assim das direções sul, sueste e leste. A costa entre o Cabo Frio até Cananéia tem um alinhamento diferente daquele por nós imaginado, estando disposta em um eixo leste-oeste, ao invés de norte-sul como no litoral da Bahia, por exemplo. Por isso, se você seguir para mar aberto em um rumo que seja perpendicular à linha da praia irá para a Antártida e não para a África. Em contrapartida, se por alguma razão sentir-se perdido ou desorientado, basta por a proa na direção do norte que cedo ou tarde chegará em alguma terra. 

Nesse cenário o vento noroeste é muito particular em nossa região. Vento quente e seco, ele vem das montanhas da serra do mar e sopra com vontade. É um vento difícil de ser dominado, pois a diferença entre o vento predominante e as rajadas é grande. Ontem, por exemplo, havia previsão de ventos de 5 nós, com rajadas de 20. É muito difícil achar uma regulagem que permita o barco velejar bem a 5 nós e receber a rajada (que passa bastante rápido) sem que alguma alteração no arranjo seja necessária, mesmo que breve. A tripulação, assim, trabalha bastante. Outro detalhe fundamental do vento noroeste é que ele anuncia a chegada de uma frente fria. Então não se engane com o tempo ensolarado, calor e céu sem nuvens: vem "porrada" por ai!

A despeito da previsão ontem terminamos a instrução básica do Rogério e do Marcio no Fratelli. O vento vinha na casa dos 7 nós e as rajadas eram de 14. O Delta 36 é um veleiro que aguenta bastante vento e não precisamos fazer nada além de orçar um pouquinho durante as rajadas, sendo isso o suficiente para estabilizar o barco.

Da esquerda para a direita: Márcio, Marcelo (o Estagiário) e Rogério.
Deixamos a barra de Santos às 11h00, fomos até a Ponta do Itaipu e de lá seguimos em um bordo praticamente único até a Ilha da Moela. Houve alguns momentos de calmaria - o que também é típico do noroeste -, mas nada que tenha atrapalhado cumprirmos o programa. Às 15h10 já estávamos na marina.

Agora estamos nos preparativos para irmos até Angra dos Reis participar do Encontro Anual da ABVC, dia 04 de junho. O plano é sairmos de Santos e irmos até Angra direto, passando por fora da Ilhabela. Faz tempo que eu não faço uma navegada de maiores proporções e confesso que estou um bocado ansioso. O Spinelli fará o mesmo, saindo de Ubatuba e você pode participar dessa travessia, é só falar com a gente: cuscobaldoso@gmail.com. 

E vamos no pano mesmo!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Onde guardar um veleiro.

De Ubatuba a Santos

De Vitória a Recife