Atoll 22 e Atoll 23

Boas!

Projeto de Roberto Mesquita Barros, o Cabinho, O Atoll foi lançado na década de 1970 sob o nome Atoll 22. Pouco após o lançamento, o estaleiro fluminense Multiglass efetuou algumas pequenas alterações e rebatizou o barco para Atoll 23, pois se bem medido o Atoll 22 tinha praticamente 23 pés (fenômeno  semelhante ao Spring 25, que tem 25 pés e uma fração que quase o torna 26). Os dois barcos são, em termos práticos, o mesmo e se não fosse pelo fato de o Atoll 22 ter vigia única, ao passo que o Atoll 23 tem duas vigias de cada bordo, seria impossível diferenciá-los - inclusive no desempenho. O Atoll foi produzido até meados da década de 1980, quando o plano cruzado deu início à quebradeira generalizada da indústria náutica brasileira - que apenas agora, trinta anos depois, esboça recuperação.



O Atoll 22 mais famoso é o Aquarela, da amiga Christina Amaral. Dentre outras aventuras mirabolantes o Aquarela já fez, ida e volta e sem motor, a travessia Angra/Abrolhos/Angra, cujo relato você pode ler aqui!

Mas fica a dica: vale a pena ler o blog todo, pois a dona moça é velejadora com "V" e todas as outras letras maiúsculas - e quando crescer eu quero ser como ela!

E vamos no pano mesmo!

Comentários

  1. Não seria um comentario mas sim uma duvida, gostaria de saber a tensão certa para fixar o mastro do atol 22 e se este veleiro pode usar um balão e como proceder.

    ResponderEliminar
  2. Olá. SObre o ajuste do mestro veja em:

    http://veleirobaldoso.blogspot.com.br/2010/11/roteiro-pratico-para-regulagem-do.html

    Quanto ao balão, é claro que ele pode usar, tanto simétrico quanto assimétrico. Bons ventos!

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde Juca,origado pela poientação.Bons ventos.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

De Ubatuba a Santos

De Vitória a Recife

De Santos à Vitória