Uma nova Ilha em Itanhaém...

Boas!
 
Consta que semana passada dois amigos sairam em uma lancha de 23 pés da barra de Itanháem em direção ao mar aberto para uma pescaria (por sinal, barrinha complicada aquela!). No meio da tarde, porém, a cerração caiu forte e, surpresa! Onde estava a barra? Onde estava a terra? Eles não sabiam. Estava tudo branco. O que fizeram, então? Continuaram pescando, uai! Uma hora aquilo ia passar.



Mas não passou. E o que estava complicado, ficou ainda pior: escureceu. Os dois amigos decidiram fazer alguma coisa. Afastaram-se da costa e seguiram  rumo a uma ilha. A tal ilha estava fácil de ver, pois tinha um mastro com uma luz branca e, numa ponta, uma luzinha encarnada... (aposto que a outra "luzinha", do outro lado, era verde!).

Ao chegarem próximo da ilha misteriosa e salvadora, entraram em contato via rádio VHF. O navio (ops!), então, lhes passou comida, água e agasalhos. Passou a posição da lancha para a Capitania dos Portos e sumiu no breu.

Salvos? Ainda não. Como o navio foi embora, a lancha de resgate da CPSP teve muita dificuldade em encontrar a lancha perdida no visual... no mar as posições não são estáticas, não é?! Se o "navio ilha" tivesse mantido sua posição, teria tudo sido bem mais fácil... vai ver que por isso o procedimento padrão, nesses casos, é justamente esse! Mas tempo é dinheiro e, ao final, aquilo não era mesmo um navio: era uma ilha...

Nesse meio tempo um dos amigos conseguia falar coma esposa, via celular, em Cuiabá... e o outro falava com o filho, em São Paulo, que sem saber a posição da embarcação não pôde fazer muito. Ao final, após muita procura, a CPSP encontrou a lancha e a rebocou para o cais da Marinha, em Santos. Os tripulantes, ao que consta, se penitenciavam por não terem GPS, equipamento que os teria tirado do sufoco.

Cabe lembrar que o Padre voador (aquele dos balões, que foi fazer uma ponta em "Lost") tinha um GPS "a bordo" e não se deu bem, só por isso.Além de precisar saber usar o aparelhinho (que não navega por você, mas sim com você!) é necessário, também, saber usar outros equipamentos básicos, como a bússola e o ecobatímetro, além de  fazer, sempre, marcações em terra, durante toda a navegação...



Na mesma semana a Câmara dos  Deputados aprovou projeto de lei que institui (de novo) a prova prática para o exame de habilitação de arrais amador (agora falta a aprovação no Senado Federal).  Já não era sem tempo! Porém resta saber se haverá o adequado aparelhamento das Capitanias dos Portos para suprir a demanda pela "carteirinha", hoje em dia tão procurada. Do contrário, o que já é lento, vai ficar ainda mais devagar...

Aos nossos amigos de Itanhaém fica a dica: LEIAM O BLOG DO ELMO!!!

Bons ventos!

Em tempo: o resgate foi feito nas proximidades da Queimada Grande, que é mesmo uma Ilha...



Comentários

  1. Juca,

    Tô vendo que a construção tá indo de vento em popa. Parabéns.
    Você sabe informar o núumero do projeto de lei que institui a prova prática para o exame de habilitação de arrais amador?
    Bons ventos sempre,
    Hélio

    ResponderEliminar
  2. Grande Hélio, muito obrigao É uma honra tê-lo por essas águas. O Projeto de Lei é o de n. 3223/04, do deputado Lincoln Portela (PR-MG). Pelo site da Camara dá para ver que aguarda interposição de algum recurso, por algum parlamentar. Se não houver, vai para o Senado. Oxalá vingue, oxalá seja implementado com sucesso! Bons ventos!

    ResponderEliminar
  3. Juca,

    Gracias meu caro. Isso é um assunto que me interessa. Acho até que, se aprovado, vai melhorar, e muito, a segurança no mar.
    Até forcei sua resposta sua no blog do MaraCatu pra ficar registrado lá também.
    Bons ventos sempre,
    Hélio

    ResponderEliminar
  4. È isso, vamos que vamos e estamos por aqui!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

De Ubatuba a Santos

De Vitória a Recife

De Santos à Vitória