segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

A festa da firma 2018!

Boas!

Nos últimos dois anos, 2016 e 2017, nós fizemos a confraternização de final de ano da Cusco Baldoso alugando um veleiro e fazendo a Volta da Ilha Grande, saindo de Paraty/RJ. Foram dois anos muito bons, mas... faltava alguma coisa.

Esse ano, com o novo modelo da Cusco, que concentra suas atividades em Guarujá e oferece vários barcos para os ex-alunos usarem, foi possível fazer algo diferente. Reunimos quarenta e cinco ex-alunos, amigos e familiares, os distribuímos em sete veleiros de oceano e fizemos uma regata na baía de Santos, tendo como marca o ISO Vermelho.

Montamos a raia às 11h30. O veleiro Adhara (Praia 30) serviu de Comissão de Regatas (CR), alinhado com o ISO Vermelho. Era o barco kids: pois a bordo estava (parte) da criançada que faz parte da nossa família do mar. O tamanho do barco e sua grande estabilidade (por ser catamarã), se mostraram perfeitos para receber os pequenos, servindo de pula pula e trampolim para mergulho, sob o comando do capitão e recreacionista Jefferson Neitzke. A bordo esteve presente, também, o mago das lentes, Edson Leguth. A maioria das fotografias dessa postagem são dele (graças a Deus, pois as minhas são terríveis).

A boia de barlavento foi montada a uma milha da largada. Seria uma regata curta, por ser festiva - quatro pernas. Estava tudo pronto, drone no ar e, ao meio dia, horário programado para a largada, porém... o vento foi embora. Foi bom para o drone. Mas, para os veleiros, não. 

Esperamos quarenta minutos. A cada instante o vento caia mais.  Então, resolvi encurtar o percurso da regata e o número de pernas: meia milha e duas pernas, apenas. Assim haveria alguma chance de haver regata. Soei o silvo (amigo Mauro Pascotto) de cinco minutos, quatro, um e finalmente a LARGADA! 

Nada, porém, aconteceu. Eu e a Vivian estávamos a bordo do Manu (Velamar 31), que o Mauro Pascotto nos emprestou depois de nos dar o cano, e vimos o vento ir embora novamente. Até mesmo os Fast 230, que andam com qualquer ventinho, estavam parados. A maré estava muito, muito forte e, com isso, o pouco vento que tinha era insuficiente para que os veleiros tivessem seguimento em direção à boia (o veleiro Manu, devidamente ancorado). A situação estava tão desesperadora que anotei a ordem de largada como um dos critérios de premiação. De fato, largar foi um grande desafio!

Aos poucos, porém, a situação foi melhorando e os barcos completaram o pequeno percurso. O Erva Doce disparou na frente desde o início e foi o fita azul da regata.

Após a regata fomos todos para a Supmar, onde o Chef Marcio Lopes, do Restaurante Velho Marinheiro, nos serviu um almoço maravilhoso.

Esse ano a festa da firma foi maior e contou com grande parte dos nossos amigos. Ano que vem a festa já esta marcada: primeiro sábado de dezembro! Faremos em 2019, também, a Copa Cusco Baldoso de Fast 230, com regatas na baía de Santos todo primeiro sábado de cada mês, entre fevereiro e dezembro. 

Obrigado a todos os presentes em nossa festa. Obrigado, também, a todos que enviaram mensagens avisando que não poderiam vir, por outros compromissos. Ano que vem estaremos todos juntos. 

E vamos no pano mesmo!


REGATA DE FINAL DE ANO CUSCO BALDOSO 2018

RESULTADOS

Classe Fraldinha

Adhara - Jefferson, Rafael, Carla, Theo, Felipe, Carol, Bento, Paola, Lola e Henrique.


Fast 230

1º Lugar: Pitanga - Daniel, Severiano e Kathya.
2º Lugar: +Bakanna - Mario, Diogo e Danielle
3º Lugar: Grandpa - Eduardo, Pedro e Wagner

Bico de Proa

1º Lugar: Erva Doce - Eduardo Colombo, Marcelo, Mauricio, Carmem e Maurino.
2º Lugar: Meltemi - Alan, Leila, Osvaldo, Luis
3º Lugar: Serelepe - Cassio, Christiane, Lucas e Gabriel

Fita Azul

Erva Doce

Troféu Tartaruga Marinha

Grandpa

Troféu Novemebro Azul

Meltemi


GALERIA:


























Sem comentários:

Publicar um comentário