terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Uma penca para você!

Boas!

Esse é meu último post de 2012.  Está na hora de desligar os computadores, tablets, celulares e ir para o mar, para o mato, para a vida mais devagar, quase parando. A correria, agora, só em janeiro, pois o mundo não vai acabar em 12/12/12, às 12h12'12, nem no dia 21/12. Se o calendário acabou, a gente faz outro.

Para você meu amigo e minha amiga seguidor e seguidora do blog, desejo apenas uma penca: uma penca de coisas boas! uma penca de soluções! Uma penca de saúde! Uma penca de beijos e outra de abraços! Uma penca de velejadas! Uma penca de belos horizontes - do mar à montanha! Desejo também  uma penca (pequena, quase acabando) de problemas, pois mar tranquilo não faz bom marinheiro!

Minha pequena Alice, mandando ver em sua penca de sorvete!


Bons ventos e estrelas à barla!

Amanhã só ano que vem!



quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Clube Cusco Baldoso e Regata da Marinha 2012!

Boas!

Pois é, todo ano a gente diz que o ano passou rápido. Nesse não foi diferente. Já estamos no alto de 2012, pleno dezembro, quase verão, quase férias para alguns e trabalho para outros tantos. Meu marco regulatório para a libertação do terno e gravata é a Regata em homenagem à  Marinha do Brasil. Esse ano ela veio um pouco mais tarde: será realizada no dia 15 de dezembro, sábado e coincidirá com o término da copa CIR de vela oceânica (mais informações ao final deste post).

Enquanto isso entre um abacaxi e outro vou organizando o novo formato da escola de vela, agora com o Malagô. Algumas coisas já estão definidas e uma delas é a criação do Clube Cusco Baldoso, ou algo assim.

Basicamente quem foi aluno (e isso vale para quem fez aulas no Atoll 23 ou para quem eu dei aulas no próprio barco) será convidado a participar de alguns eventos, como as regatas de veleiros clássicos e regatas festivas como as da Marinha, ou de travessias fora do calendário de aulas. Tudo isso sem custo, a não ser o rateio das despesas básicas (irrisório).

Além disso, aqueles livros que o Jefferson Aliseda doou serão somados aos meus livros (e a outros que cheguem!) e poderão ser emprestados pelos ex-alunos, membros do clubinho. Escolhe-se o título de uma lista e eu o envio pelo correio. A devolução será feita também por correio, mas  junto com o livro devem vir selos suficientes para uma nova postagem, permitindo que outra pessoa receba o livro e assim por diante.

Ideias. Mesmo sem o acento agudo que graça teria a vida se não fossem elas? E se puderem ser concretizadas, então, tanto melhor!

A seguir mais informações sobre a Regata da Marinha 2012, enviadas pelo Diretor de Vela do CIR José Carlos Chrispin:



"No próximo dia 15 de dezembro a orla santista estará em festa com dois importantes eventos de vela.

Simultaneamente acontecerá o encerramento para veleiros de oceano e a REGATA EM HOMENAGEM À MARINHA DO BRASIL que em 2012 completará a sua 40ª Edição.

A REGATA DA MARINHA é um dos importantes eventos de comemorações da Semana da Marinha.

O final de semana festivo, com a competição, vem colorir e agitar as águas da Baixada Santista.

A festa contará com a presença de autoridades de vários setores e contará com o Navio Veleiro Cisne Branco da Marinha do Brasil.

Espera-se cerca de 60 embarcações para o evento, considerado um dos mais belos da cidade de Santos.

Participarão Veleiros das classes Monotipos e Oceânicos.

A premiação e confraternização acontecem na Sede Náutica do Clube Internacional de Regatas.

Organizadores: Clube Internacional de Regatas, Iate Clube de Santos,Marinha e Capitania dos Portos de São Paulo 

Apoio da Prefeitura Municipal de Santos.

Até mais ventos!

Zé Carlos – Veleiro Chrispin 
Diretor de Vela do Clube Internacional de Regatas"


E vamos no pano mesmo!

domingo, 2 de dezembro de 2012

Quando tem que ser, é...

Boas!

Tentei comprar o Coronado (Ulisses Schimels) durante um ano. Nossa, como eu sonhei com aquele barco! Mas em 2012 o caixa andou baixo por aqui e não deu. Um domingo a noite matutei, matutei e arrumei um jeito. No dia seguinte, porém, quando fui fazer a proposta, fui surpreendido com a venda do "meu barco" para outra pessoa. Que pé no saco! Pois é, quem dorme no ponto...

Nessa mesma semana fiz uma outra proposta para o Cesar, do Malagô, um outro sonho de consumo (sublinhando que o Coronado e o Malagô são barcos de concepções e de "trabalhos" completamente diferentes). Após um final de semana da agonia,  aparamos umas arestas e pronto, no fio do bigode a coisa estava feita. Mas que frio na barriga deu!

Era final de outubro e eu tinha muitas aulas para dar ao longo de novembro. Acertamos os "toma lá da cá" (o nome fácil da obrigação sinalgmática) para o final de novembro, mais tardar começo de dezembro. Eu levaria o Cusco até Ubatuba e para isso contaria com a ajuda do grande Ricardo Stark (grande no tamanho e na generosidade)!

Nesse meio tempo o negócio do Coronado foi desfeito. Caramba! Parei para pensar, mas eu já tinha me acertado com o Cesar... assim, apesar do Coronado me dar muito menos despesa e trabalho (a longo prazo), não teve jeito, mantive a palavra e segurei a onda do Malagô - barco que eu sempre amei, de paixão, mas nem cogitei que um dia seria meu (para ser sincero  a ficha ainda não caiu direito).

Acontece que eu simplesmente não conseguia arranjar um jeito de levar o Cusco para Ubatuba. Sempre dava algo de errado: previsão, compromissos das meninas e até o trabalho! E o barco lá, prontinho, esperando em uma agonia silenciosa.

Apesar de eu ter dado uma forcinha o Cesar e o Walnei não se entenderam (o que lastimei muito). Enquanto isso o Ricardo Stark começou a trocar e-mails com o Victorio e nessa, quase sem querer querendo,   vendeu o Cusco Baldoso.

Hoje o negócio entre o Cesar e o Victorio foi selado e eu fui tirar o pouco que ainda era meu do barco. Sensação estranha, de quem se despede de um bom amigo. Fiquei feliz, pois o barco vai para um casal bem legal e que fará bom uso dele. O Cusco e "seus" casais! 

O valente e famoso Atoll 23 será mantido na mesma poita pelos novos donos (terei vizinhos que irão velejar!), mas parece que vai mudar de nome... 

Eu já creditei que trocar de nome de barco dava azar. Mas troquei o nome do Rio 20 e do Atoll 23 do mesmo jeito. Contudo, todavia e entretanto, não tenho coragem de mudar o nome de um barco que há mais de cinquenta anos é chamado da mesma forma: o Malagô não virará Cusco Baldoso (porém outro já está a caminho, embora isso seja segredo!)

Agradeço muito ao Ricardo, pela atenção que me deu, amigo como sempre!

Agradeço mais ainda ao amor da minha vida, Priscila, que longe de criar problemas  foi a primeira a abraçar com entusiasmo a ideia e a aceitar numa boa ficarmos a pé por uns tempos para realizarmos mais esse projeto (parceria nessa vida é tudo, até no busão!!!). 

E vamos no pano mesmo! 


Velejando no Nordeste...

Boas! Por conta do lançamento do livro A Travessia Azul, fiz palestras em algumas cidades para contar para as pessoas mais sobre o que ...