Atualização do Roteiro do Canal De Bertioga

Boas!


Como prometido e apesar do cano do Stark (brincadeirinha, ele tem muito crédito comigo e a falta foi plena e antecipadamente justificada) eu percorri as 13,37 milhas náuticas do canal de bertioga, para atualizar o ROTEIRO.

Sai às 10h00 da marina rumo à Pedra do Corvo e, de lá (e ai sim fazendo a contagem das milhas) segui com destino à Ponte Férrea, nas cercanias da Base Aérea . Foi a estréia do mercury 8.0 -  aprovado com louvor apesar de eu o achar um tanto beberrão (mentira, eu que fiquei mal acostumado com o 3.3 e seu pouco mais de 1 liltro/hora). Velocidade de cruzeiro 5 nós, com picos de 6,5 na maré a favor (aquilo é um rio!!!) e redução para 3 nós nas curvas, por segurança.

A descida do canal não teve dificuldades. O único senão foi no largo do candinho, pois achar a  boía verde não foi muito fácil, pois ela se confunde com a vegetação (que também é verde). Busquei um dica para encontrá-la, mas a única que me pareceu sensata foi essa: use um monóculo! 

Entrei nas "curvas" com certo receio, pois da última vez que fiz esse roteiro usei o Rio 20, que tem apenas 1,05m de calado. O Atoll 23 tem 1,47m e, sozinho, qualquer encalhe poderia ter sido bem complicado. Mas segui as orientações de um excelente roteiro do canal de bertioga que achei na internet (no blog do Cusco Baldoso, claro!), e após duas horas de navegação lá estava eu no Monte Cabrão e, pouco tempo depois, na base aérea de Santos (que hoje é apenas um destacamento da aeronáutica, pois a base foi desmantelada). 

Em geral o canal continua igual. Eu o acho lindo, mangue preservado entre as montanhas.O microclima ali também é interessante: chuva e vento frio, enquanto nas cidades do entorno um solzinho até ensaiava por o nariz para fora da janela - sem chuva. Mas tem quem apenas veja mato... 

A paisagem não mudou muito desde março de 2011, quando fiz o roteiro. A exceção é a pedreira, na altura do Monte Cabrão, que está mais "debastada" e um OFMI (objeto flutuante mal identificado) que apareceu por lá e dá mostras que o visual por aqui, em tempos de Santos/Dubai/Pré-sal tende a mudar - e não necessariamente para a melhor. 

Dizem que  bichão ai da foto é uma bóia de uma plataforma, mas ao certo mesmo só se sabe do estrago que causou ao entrar no canal, encalhar e ser retirada na força bruta pelo rebocador.

Outra coisa que mudou, e essa sim para a pior, foi o número de embarcações que trafegam no canal. Lanchas, muitas lanchas. Até ai muito bom! O problema é que elas são conduzidas por irresponsáveis que insistem em trafegar em alta velocidade em um local que não permite que isso seja feito com segurança. Vinte, trinta nós no canal, para mim é dolo eventual e tenho certeza, infelizmente, que em breve haverá um acidente por lá. Espero estar enganado...
o OFMI...

Walnei, embaixo do casaco tinha um colete... 
Cusco em modo garoa: abas laterais abaixadas!
O largo do candinho, no alinhamento bóia verde/bóia vernelha.Parece fundo, sempre, mas o canal de navegação é muito estreito.

E bora lá!


Comentários

  1. Oi Cmte.Juca!!

    Quanto ao OFMI , não seria alguma novidade do SP Boite Show e que teria caído de algum caminhão??...rsrsrsrs
    E com relação ao 'cano', se eu pudesse, seria o trabalho o escolhido. rsrsrsrs

    abraço!!

    ricardo stark

    ResponderEliminar
  2. Relaxa, dom Ricardo, como eu disse, vc tem crédito.
    Outubro devo passar uns dias com o Cusco entre Ilhabela e Ubatuba. A "subida" é dia 06/10, sábado. Estás escalado, se quiser! Bv

    ResponderEliminar
  3. Olá Juca! Legal o post! O Atoll 23 não passa embaixo da ponte ferroviária sem ter que levantar a mesma? Você foi com qual maré? Daria para fazer na maré mais baixa? E a testa? Já está tudo bem com você? Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo: Jefferson, do Atoll 23 Goludo.

      Eliminar
    2. Grande Jefferson! Então, ponte tem só 4 metros na maré mais baixa. Ela tem que subir. Com o atoll eu não pedi, mas se precisar o operador sobe. Eu fui com maré 0,5. Prefiro ir na baixa. A testa t[a indo bem, fiz uma tomografia hj e estou sem edema cerebral, que era o risco maior. Apenas minha beleza estonteante ganhou um acréscimo, com cicatrizes e galos, mas é algo que terei que aprender administrar, kkk!Bons ventos, sempre!

      Eliminar
    3. Poxa cara, legal que você está melhor. E a retranca, sobreviveu? Cara, eu queria fazer esse trajeto um dia, saindo de Santos para pernoitar em algum lugar em Bertioga e voltar no outro dia por fora. Se você quiser me acompanhar na ida, só precisamos combinar a data. (ví seu email sobre o DOC, valeu!). Abraço. Jefferson.

      Eliminar
    4. Opa, eu fiz muito isso! O melhor era sair de Santos e passar as noites no pier das Marinas Nacionais... é mais ou menos caro, rs, (uns 150,00) mas vale muito a pena. Qqr coisa tem o Chinen tbm. Apenas não recomendo, de jeito nenhum dormir por lá sem a segurança de uma marina...Quanto a ir junto, vc manda, é só dizer quando! BV!

      Eliminar
  4. Juca: Você disse que já teve 2 Hobies 3.9.

    Teria por acaso um manual de montagem deles?

    Comprei um e não sei por onde começar.

    É que ele tem muitos mordedores e muito cabo.

    Agradeço qualquer ajuda, pois estou no Mato Grosso, longe de qualquer coisa que trabalhe com Veleiros.

    Joaquim (joasouza@terra.com.br)

    ResponderEliminar
  5. Joaquim! Entrarei em contato via e-mail, mas posso te ajudar sim. Bons ventos!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

De Ubatuba a Santos

De Vitória a Recife

De Santos à Vitória