Observações sobre o Rio 20

Boas!

Já postei aqui no blog informações técnicas sobre o Rio20. Mas não coloquei minha opinião de proprietário. Então, vamos lá!

No meu caso eu buscava um veleiro de oceano pequeno, robusto, fácil de manter ($$) e capaz de ser velejado por apenas uma pessoa. Algo como um Brisa (meu antigo barco, um Daysailer), porém mais robusto, capaz de enfrentar o mar sem receio de capotar e entrar em uma fria, mormente navegando em solitário.

Pois o Rio20, com seus 300 kg de lastro e armado como um grande monotipo satisfez todos esses requisitos.

Pontos fortes:

1) Boa relação custo benefício: pode-se conseguir um Rio20 em bom estado por cerca de R$ 20.000,00 (sem motor). Além disso, a maioria das marinas cobra a estadia com base no número de pés da embarcação. Nesse caso, o Rio 20 é mais atraente que um 23 pés, sendo que possui em linhas gerais o mesmo rendimento. Se o preço do pé for R$ 20,00, por exemplo, ao invés de R$ 460,00 por mês você irá pagar R$ 400,00. Em um ano isso representa R$ 720,00. Com esse valor é possível fazer a pintura anual do fundo, que todo barco guardado em vaga molhada necessita.

2) É um projeto do Cabinho, o que significa dizer que é seguro, marinheiro e na medida do possível para sua faixa de tamanho, bem resolvido internamente (tem vários guarda trecos, o que as mulheres adoram!);

3) A mestreação ao tope faz com que ele aguente muito pano em cima e aceite uma boa variação de tamanho de velas, o que permite um ótimo aprendizado para quem, no futuro, busca um barco maior.

4) O calado é baixo (1,05m), permitindo chegar bem perto das praias;

5) O leme é leve e responde rápido aos comandos. É um "monotipão"! As escotas são leves (dificilmente vocé usará uma das duas catracas) e as adriças sobem com facilidade. O enrolador de genoa facilta um bocado as coisas e pode ser do tipo sem foil (muito mais barato). No Cusco consigo fazer tudo de dentro da segurança do cockpit.

6) O tanque de água (70 litros) é bem razoável;

7) O sistema elétrico é bem resolvido e alguns LEDS iluminam toda a cabine;

8) O leme é interno;

9) O barco enfrenta bem as ondas e a velejada é "seca" (dificilmente você irá se molhar);

10) De olho na previsão e com certo planejamento é possível fazer pequenos cruzeiros de final de semana. Vai parecer que não, mas a melhor cama é a de casal, na proa!



Pontos negativos:

1) Cabine muito baixa (mas é um 20 pés, não dá para querer milagres!).

2) Projeto antigo, de popa fechada e proa curva;

3) Cockpit muito apertado e acanhado (é um 20 pés, lembra?!). Se velejar em 04 ou mais pessoas (a lotação é de 06 para passeio e 04 para pernoite) distribua o peso colocando gente na proa, nas laterais e no cockpit. Isso para manter o barco equilibrado e não afundar muito a popa, freando o veleiro. Eu não velejo com mais do que 04 pessoas, por questão de conforto;

3) A instalação de um banheiro rouba muito espaço. Se a dona patroa encarar, o melhor sistema é o balde mesmo!

4) Na orça ele aderna bastante. Não se assuste, ele não vai capotar!

5) Depois de um tempo você vai querer um barco maior. E, como muitos já me disseram, vai sentir saudades do valente Rio20.

É isso ai!!!


















O Cusco na Ilha de Cedro - Paraty - Abril de 2010

Comentários

  1. Oi Juca!
    Gostei muito dessa materia e resolvi fazer uma pirateadinha basica para o meu blog www.papodevelejador.blogspot.com,da uma olhadinha la e se não gostar é so mandar dizer.
    Um abração
    Antonio

    ResponderEliminar
  2. Bem vindo a bordo!
    Obrigado pela referência!
    BV

    ResponderEliminar
  3. Juca, sempre gostei do rio 20, justamente pelas ponderações que voce fez. Foi meu sonho de consumo nunca realizado e quando me aparece um, sempre o olho com carinho. Outro barquinho que me chamou muito a atenção era o Tahiti 16 que é um rio 20 com 4,80m. Agora estou construindo um Tiki 26, mas antes tinha um Newport de 26 pés projeto do Cabinho. Porém, os catamarans do Wharram me seduziram de vez. O tiki 21 é um barco que tenho intenção de construir também. Ele é muito racional e capaz de tudo. Bons ventos e boa sorte na sua empreitada!

    ResponderEliminar
  4. Grande Marcos, sou fã do seu trabalho. Quisera eu meu barco fosse construído de forma tão "limpa" quanto os seus, rs! Meus filetes são uma vergonha, mas agora até que peguei o jeito. O Rio 20 é um barcão! Mas hj em dia tendo a fugir de barcos com quilha... eles dão muita manutenção! Bons ventos!

    ResponderEliminar
  5. Olá Juca,estou pensando em adquirir um Rio 20 mas estou buscando algumas informações sobre ele. Saberia me dizer quem os fabricavam e se o convés era feito em sanduíche de madeira e fibra?

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Onde guardar um veleiro.

De Ubatuba a Santos

De Vitória a Recife